Fernanda Chemale

news

ESPAÇO DE CONFLITO, Galeria dos Arcos Usina do Gasômetro

Santa Estação Cia de Teatro

Hotel Fuck, Santa Estação Cia de Teatro

ESPAÇO DE CONFLITO exposição individual da fotógrafa, está em cartaz na Galeria dos Arcos da Usina do Gasômetro até de 30 de novembro. Apresenta a fotografia de espetáculo revelando um o universo dramático e a simplicidade de uma ação. Embalados pela expressividade da criação são imagens que perturbam e desequilibram. A mostra foi exibida no Teatro Solís em Montevidéu através de seleção do edital internacional do Centro de Fotografía de Montevideo, é também a série que serviu de laboratório para o próximo trabalho, “Desordem”.

A Rua Suspensa

 

A Rua Suspensa
A Rua Suspensa
A Rua Suspensa
A Rua Suspensa
A Rua Suspensa
A Rua Suspensa
A Rua Suspensa
A Rua Suspensa

A RUA SUSPENSA

Fernanda Chemale

Fotografia – Instalação

15 x 21cm

 

2008 | 2011 | 2013

 

Este trabalho foi construído e concebido na Travessa Venezianos uma rua tombada no bairro Cidade Baixa em Porto Alegre onde as construções são datadas do início do século XX e mostram uma arquitetura muito simples. Seu valor histórico reside em constituírem um grupo intacto de habitações populares típicas de muitas cidades brasileiras.

As fachadas resumidas a uma porta e uma ou duas janelas foram fotografadas de modo formal com um tripé em dia de luz muito alta em ponto de vista repetitivo, buscando mostrar o modo como estão dispostas na rua, sendo pegadas umas às outras em fileira. Já o grupo humano que habita e freqüenta esta rua foi fotografado em suas ações cotidianas em horário solar mais ameno e com a câmera na mão, buscando participar desta convivência.

Estes elementos juntos, casas e pessoas propõe a representação da Travessa Venezianos e remetem a uma cantiga popular: “Se essa Rua fosse minha eu mandava ladrilhar com pedrinhas de brilhantes para o meu amor passar…” que compõe este espaço em um imaginário de cidade do interior inserido como que suspenso na metrópole.

 

As caixas suspensas à altura dos olhos são compostas por fotos capturadas em 2008 e 2011 trazendo em uma das faces as coloridas e festivas fachadas das casas da Travessa o no verso as imagens de seus moradores. Na instalação original são 14 caixas na dimensão 15cm x 21cm, com uma espessura de 5cm contendo imagens nos dois lados maiores. São dispostas em duas linhas paralelas que se distanciam uma da outra por um espaço de 1,5m e possuem um intervalo de 10cm entre cada uma das caixas, tendo esta instalação um total de  4 faces e 2 entradas,  simulando a idéia de uma rua por onde o espectador passa. As imagens desta rua são a arquitetura das casas. Em seu verso é exibido o lado humano.

A RUA SUSPENSA

Inspirado na Travessa Venezianos, uma rua tradicional de Porto Alegre no sul do Brasil e tombada pelo patrimônio histórico do município ”A Rua Suspensa” valoriza a arquitetura das fachadas pitorescas das casas, a vida de crianças brincando e a ação cotidiana das mulheres que se reúnem em frente à porta de casa. Em suma, a vida fluindo.

O imaginário de uma cidade do interior é representado por suas casas e habitantes inserido na metrópole. A Rua Suspensa afirma a poesia e o conforto de uma vida cotidiana, rotineira e tranqüila que está tão longe e tão perto das batidas monumentais de uma cidade grande ao mesmo tempo que afirma o exercício da memória.

 

A Rua Suspensa é uma instalação com

Na expansão da metrópole,
Encontra-se uma rua com o semblante do interior
Arquitetura: remete ao passado.
Calor humano: devolve o dia de hoje.
Nas casas, gerações de histórias.
Futuro, Novo, Passado e Antepassado.
Passagem do tempo.
Travessa no tempo.
Transformações,
internas e externas.
Viva e efervescente!

Vê nez i anos

 

 

 

Fotogaleria Virgilio Calegari – Casa de Cultura Mário Quintana
2º Prêmio IEAVi – Incentivo à Produção de Artes Visuais
10 de maio a 16 de junho
 
Fernanda Chemale lança A Rua Suspensa, instalação de fotografia e som inspirada na Travessa Venezianos, tradicional rua de Porto Alegre. O imaginário de uma cidade do interior representado por suas casas e pessoas revive na metrópole. A Rua Suspensa afirma a poesia da vida cotidiana simultaneamente próxima e distante da agitação de uma cidade grande. A autora recentemente exibiu suas fotos no Teatro Solís em Montevidéu. Inicia na produção de seu próximo livro Desordem, financiado pelo Fumproarte. É colaboradora do projeto Nordestes Emergentes desenvolvido pela Fundação Joaquim Nabuco. 
Nas fotos - Lais Luciane da Conceição, Ana Henrique, Vera Regina Gomes Martins, Clara Leiaine Santos, Brenda Alexia, Iandra Soares Ferreira, Evelyn Vieira Costa, Georgia Alexandra Soares Ferreira, Larissa Vieira Costa, Alisson Ferreira, Jackson Ferreira, Flávia Vieira Costa, Sisenando Costa, Carolina Vieira
Trilha - Captação de Som: Breno Ketzer Saul e Pedro Moreira Saul, Edição de Som: Kátia Costa
Montagem – Rodrigo Shalako
Iluminação: Breno Ketzer Saul
Direção de Arte – Marco Fronckowiak
Curadoria – Zoravia Bettiol
 
Serviço
A Rua Suspensa
instalação fotográfica de Fernanda Chemale
2º Prêmio IEAVi – Incentivo à Produção de Artes Visuais
Fotogaleria Virgilio Calegari
Casa de Cultura Mário Quintana
Rua dos Andradas, 736, 7º andar
Porto Alegre
Período: de 10 de maio a 16 de junho de 2013
Visitação 
- segunda das 9h às 21h
- de terça a sexta das 9h as 21h
- sábado e domingo das 12h às 21h
 
Fernanda Chemale
(51) 3225.7932 / 9999.7709
 
Instituto Estadual de Artes Visuais
(51) 3216.9913

LEILÃO DE FOTOGRAFIA CONTEMPORÂNEA – MACRS

Sonho de Pietra
Garopaba 2012
© Fernanda Chemale

A GALERIA MASCATE E A A AGÊNCIA DE LEILÕES E ESPAÇO CULTURAL PORTO ALEGRE promovem leilão de fotografia contemporânea em prol do acervo do MACRS. Inicia na próxima segunda-feira, dia 25 de junho, a exposição das obras que compõem o novo acervo de fotografia do Museu de Arte Contemporânea do RS na Galeria Mascate (Rua Laurindo, 332 – Bairro Santana/Poa-RS) . Com a finalidade de estimular a formação de acervo para o MACRS, e também colecionadores nesta linguagem artística que se tornou obrigatória no último século nas coleções dos museus mais importantes do mundo, mais de 60 artistas contemporâneos aceitaram o convite para doar obras representativas de sua produção, formando o novíssimo acervo fotográfico do museu. A comissão de curadoria do evento foi formada pelo professor e pesquisador da UFRGS Alexandre Santos, pelo Coordenador de Cinema, Vídeo e Fotografia da SMC/PMPA Bernardo de Souza, os fotógrafos Júlio Appel, Tiago Coelho e Walter Karwatzki. As cópias assinadas, que já fazem parte do acervo do museu, também estarão disponíveis à venda no leilão promovido por Daniel Chaieb da Agência de Leilões e Espaço Cultural Porto Alegre, no dia 30 de junho na Galeria Mascate, tendo por objetivo estimular o mercado local da fotografia, sendo que o valor de cada obra vendida será revertida para o próprio artista. O evento foi inspirado na obra Leilão da artista Rosângela Rennó realizada na última Bienal de SP em 2010 que reuniu diversos colecionadores e galerias de arte. Em 2012 a atividade esteve inscrita na 10ª Semana Nacional de Museus do IBRAM cujo tema foi Museus em um Mundo em Transformação – novos desafios, novas inspirações.

Visitação das obras na Galeria Mascate dos dias 25 a 29 de junho, das 14h às 18h. O leilão será realizado no dia 30/jun às 18h.

LEILÃO DE FOTOGRAFIA CONTEMPORÂNEA
Exposição de 25 a 29 de junho, das 14h às 18h
Leilão 30 de junho, 18h
Galeria Mascate – Laurindo, 332 – Bairro Santana/PoA-RS

Artistas Participantes:

Achutti

Adauany Zimovski

Alexandre Godinho

Amélia Brandelli

Ana Paula Aprato

André Petry

Andrea Bracher

Angela Farias

Breno Rotatori

Camila Schenkel

Carla Dias de Borba

Denise Helfenstein

Dione Veiga Vieira

Dulce Helfer

Eduardo Montelli

Estéfani Bouza

Evenir Comerlatto

Fábio Del Re

Fernanda Chemale

Fernando Schimitt

Gustavo Diehl

Hélio Fervenza

Igor Sperotto

Izabel Ramil

Jacqueline Joner

Javier Marquerie Thomas

José Diniz

Juliana Lima

Julio Appel

Kin Viana

Leandro Brandelli

Leopoldo Plentz

Letícia Lampert

Letícia Remião

Luíza Brandelli

Magna Sperb

Maria Ivone Dos Santos

Mariana Xavier

Mariane Rotter

Marilia da Silva Bianchini

Mário Mendes Júnior

Neca Sparta

Nick Rands

Pedro David

Raquel Buriol

Raul Krebs

Régis Duarte

Roberto Prym

Rochele Zandavali

Rochelle Costi

Romulo Conceição

Sandra Genro

Serena Salvadori

Sérgio Gonçalves

Tadeu Vilani

Thaís Franco

ElefanteCidadeSerpente

Fiesta Casarão, Porto Alegre, 2005.
Ralo, São Paulo, 1996.
Astronauta, Porto Alegra, 1990.
Índio Africano, Rio de Janeiro, 1991.
Metal Caveira, Porto Alegre, 1991.
Boca da Garrafa, Montevideo, 1994.
Corrida, Porto Alegre, 2006.
Skate, Porto Alegre, 2006.
Passeantes
A Dama do Mar, Porto Alegre, 2004.
Cubatão, 1999.
Florianópolis, 2006.
Natal, Garopaba, 2006.
Auto Retrato, Arroio Teixeira, 2002.
Varal, Porto Alegre, 1992.
Stravaganza, Porto Alegre, 2005.

Nas coisas banais do meu cotidiano encontro as imagens de ElefanteCidadeSerpente. Procuro os vestígios do homem urbano e me aproprio de seus objetos e espaços. As situações se apresentam em ações óbvias e casuais.  Explorando vidas humanas, vejo o quanto o anonimato das grandes cidades é particular e como em meu subconsciente tudo se rompe. O que é interior passa a ser exterior, suprimindo a fronteira entre realidade e imaginação.  Construindo essas imagens evoquei outros mundos, sugestionando dimensões de realidade, muitas vezes enigmáticas. Neste ambiente, o espectador é desafiado a decifrá-las.
Fotografia oculta, paradoxal e subversiva.
O abstrato está sobre o figurativo.
O contexto, saturado.
O mundo real é transformado em virtual.             

FotoSeptiembre USA-SAFOTO

Fotograma 2009